Prelúdio do Inferno

Helena entrou correndo. Nem bem trancou a porta e as dores recomeçaram. Dessa vez ela se jogou no chão e gritou loucamente. Suas mãos cresciam, suas unhas começaram a rachar. Os olhos estavam saltando para fora a medida que a dor aumentava. Sentia a pressão no peito, o coração inchando. De repente outra dor tomou sua atenção, gemendo e gritando o tempo todo, agora sentia alfinetadas na cabeça. Por instinto pressionou as mãos contra a cabeça, puxando os cabelos. A força era tamanha que ela arrancou os próprios cabelos com as mãos.
Agora todo seu corpo queimava, seus braços já estavam tão inchados quanto as mãos. A cabeça aumentou também, o cérebro inchava lentamente. Com o tempo, toda a sua pele e ossos se deformaram, expandindo-se para adaptar-se ao inchaço de todos os seus órgãos e artérias.

Helena era ateia, mas naquele momento gritava descontroladamente, implorando por um Deus que, se existisse, a odiava muito. Mas quanto mais esforço fazia mais rápido era a metamorfose. A veia de seu pescoço rompeu, explodindo sangue no chão. Perguntava o porque, gritando o máximo que podia, numa voz já irreconhecível. Não pode continuar, seus olhos esbugalhados se reviraram e ela começou a ter uma convulsão.

– Doutor, por favor não me esconda nada, existe a possibilidade de que Helena saia do coma um dia?

O doutor olhou para o rapaz com um olhar esperançoso. Estava acostumado a mentir.

– Sim, Otávio. Helena é uma mulher muito forte, tenho certeza de que em mais algumas semanas ela começará a dar algum sinal de melhora. Sua mulher ficará bem, você verá.

– Ela ao menos pode me ouvir?

– Isso não posso afirmar, alguns dizem que sim, outros dizem que o paciente em coma cria um mundo paralelo, como um sonho, um mesmo sonho, e o revive todos os dias até que acorde.

2 Thoughts on “Prelúdio do Inferno

  1. Nossa Cah .. foi tenso a coisa em !! quase dei um troco aqui =P
    Menina já estou curiosa para saber como vai se ro proximo rsrs..

    beijokas
    Ali

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Post Navigation