Papercraft — Freddy Krueger

Mais uma sugestão de sexta-13 pra quem gosta de montar papercraft.




(Salve em PDF)


Retirado do site horrorwood

Ideias de “matar” para sua TPM

É fato que nessa época ficamos mais sensíveis, nervosas e emotivas. Como diria Roberto Carlos “São tantas emoções”. E nessas horas nossos entes queridos (namorados, maridos, melhor amigo) servem de alvos. E pensem bem, você está em um momento que qualquer palavrão, chute, soco, entre outras mancadas, podem ser desculpadas, utilizando a clássica frase “Foi mal, é a tpm”.
E ainda existem garotas que reclamam dessa fase. Sabemos que nesse período, mesmo que sem intenção nosso cérebro acaba tramando coisas diabólicas (não só na tpm, alias). Pensando nisso trouxe algumas imagens inspiradoras de momentos de pura (adrenalina) tpm .

Chocolate, cigarros de cravo, alguns brinquedinhos (olhe com atenção) e um serviçal, perfect!


Boy Magia boiando na banheira após desempenhar seu papel…ou não!?


Decepcionada pela falta do “documento” do Ken


E o ratinho, roendo o que ai fiu?




Só não esqueça de limpar a bagunça depois.


(todas as imagens foram retiradas do site The photography Mariel Clayton tem muito mais lá)

Garotas medrosas…

Vamos a cena:

“Você está em casa num sábado a noite (no boyfriend, no social life), batendo um canal básico (típico comportamento masculino), eis que surge o Massacre da Serra Elétrica.
Agoniada, automaticamente entra em pânico, sentindo seu coração pular pra garganta, a cabeça girando, sua vida passa diante de seus olhos. Você, como uma mulher forte tenta se acalmar e recuperar o fôlego, e quase que deixando o controle remoto cair de suas mãos, mas com firmeza, consegue apertar o botão para mudar de canal. Paz total, você sente que está novamente no “controle” de suas emoções. Feliz e agora totalmente relaxada você olha para a televisão com um sorriso de vitória….uma comédia romântica está no ar, e você está segura, ufaa…”

Exagerei? Calma, esse pequeno texto foi baseado em conversas com meus amigos do sexo masculino. E por mais que eu queira alfinetar os rapazes hoje, tenho que concordar que essa dramatização não é tão exagerada quanto parece.

Eu por exemplo, assisti no cinema todos os jogos mortais, degustando um delicioso e engordativo big x picanha mal passada e fritas (várias mordidas no hamburguer enquanto pessoas eram estripadas, hummm), mas não posso ver uma barata que entro em pânico, faço a subidinha da cadeira, tudo com muita classe (NOT), lógico.

Homens e mulheres vivem discutindo sobre isso, cada um joga seus argumentos e no final ouvimos que: “somos mulheres, é comum sentir medo.” Mas não me importo realmente com isso. Pois, enquanto houverem homens, que na primeira dor de barriga acham que estão com câncer intestinal (conhece o tipo frágil?), nós estaremos subindo em seus colos e gritando estéricamente: barataaaaaaaa…mataaaa!

E assim mantemos o equilíbrio do universo.

Quem quiser pode assistir a versão original de 1974 do massacre da serra elétrica, um cult extremamente aterrorizante. (assista online aqui)
E não esqueçam de segurar a mão de seus namorados/maridos nos momentos tensos, assim eles não sentirão medo. 😉