Delírio de Capgras

Invasores de corpos, de 1956. "Cada um com sua vagem."

Invasores de corpos, de 1956. “Cada um com sua vagem.”

Num dia aparentemente comum você abre os olhos e vira pra lado dele na cama. A criatura dorme tranquilamente, como se nada a afetasse. Os olhos colados de remela, a boca escorrendo baba, a respiração tranquila. O ser está agora em sua forma mais pura e indefesa.

Enquanto você espera pacientemente até que ele abra os olhos e lhe dê bom dia, sua mente se enche de pensamentos obscuros.

“como ele pode ter mudado tanto?” “alguém realmente é capaz de mudar, afinal, ou apenas mostramos nossa verdade natureza?” “ele tem ideia do quanto me machuca?”

“somos como cebolas, camadas e camadas superficiais, protegendo um interior tão vasto e complexo de sentimentos que talvez uma vida só não seja suficiente pra entender”

“outra espinha no queixo? Cruzes. Deve ser o chocolate que comeu ontem…”

O vínculo, aquela espécie de cordão umbilical metafísico que os unia, rompeu. Aquela pessoa ao longo dos anos se tornou um completo estranho dentro do mesmo corpo.

Você ainda se relaciona com a amiga da época da escola que trocavam confidencias sem julgamentos. Hoje você fumaria um maço inteiro de cigarros pra evitar conversar. O olhar tão amigo tornou-se algo diferente, impenetrável. É impossível saber o que se passa naquela cabeça cheia de cabelo que apenas concorda com tudo o que você diz. Uma estranha que te faz hesitar até em contar como foi seu dia. Invadida pela sensação de que qualquer comentário é motivo para julgamentos da pior espécie. Aquele que segue apenas por um sinal de cabeça afirmativo e olhar atento, sem resposta ou qualquer sílaba emitida. Novamente, pensamentos obscuros invadem sua mente:

“nossa, que roupinha brega. Certeza que comprou em brechó. Não a conheço mais”

O delírio de Capgras é um distúrbio, na qual a pessoa acredita que alguém muito próximo a ela foi substituído por outra pessoa igual. Um clone impostor com propósitos desconhecidos. Geralmente aparece em pessoas que tenham algum dano cerebral ou problemas mentais, como esquizofrenia.

Invasores de Corpos, de 1956

Invasores de Corpos, de 1956. Impostor nascendo da ervilha maligna borbulhante.

O psiquiatra francês (adivinha, o Capgras), descobriu essa síndrome em mil novecentos e vinte e bolinha. Ele erroneamente associou isso a uma doença mental. Um delírio. Minha teoria é que Capgras nada mais é do que um tremendo choque de realidade, ao descobrir que a expectativa ou admiração em excesso que criamos por alguém pode sim ludibriar nossa percepção. E esse pedestal pode quebrar quando menos se espera, igual o pato de vidro que sua mãe deixava na pontinha da prateleira mais alta da estante, e que você um dia distraída bateu o braço. Porque culpar a si mesmo pela ilusão que criou, se pode delirar e acusar qualquer um de ser um extra terrestre invasor de corpos ou um metamorfo?

One Thought on “Delírio de Capgras

  1. Embora não acredite em invasores de corpos, ainda fumaria (mesmo sendo não fumante) um maço inteiro de cigarros – até charutos – para não encontrar qualquer pessoa que já conheci. Surto define.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Post Navigation